Um brinde (e um alerta) a Fisioterapia!

Completamos dia 13 de Outubro de 2017, mais um ano de profissão regulamentada de nível superior, alcançando a marca de 48 anos. Muitas lutas, conquistas, descobrimentos, evolução, consolidação no mercado e também expansão nas áreas de atuação.

Sou formado pela UFMG (Bernardo Chalfun) desde 2004, e pude observar nestes 18 anos desde meu ingresso na faculdade (1999) mudanças consistentes e marcantes na nossa profissão.

Ocorreram nas últimas décadas (especialmente na última) uma explosão de cursos, formações, novas técnicas, novas áreas e novos negócios que possibilitaram o Fisioterapeuta a diversificar seu campo de atuação e prestar serviços diferentes a população.

Até este ponto do texto, os leitores poderiam ter a sensação de ser puramente comemorativo e destacando os pontos positivos da Fisioterapia. Em parte estão certos, porém não posso perder a oportunidade de fazer um (dois) alertas importantes na luta pela valorização da nossa categoria.

1. Alerta: Vejo muitos colegas Fisioterapeutas, embuídos por uma pseudo-orientação mercadológica, “vendendo” seus serviços e habilidades de uma forma que sobrepõe a profissão. Exemplo: Sou RPGista, Pilateiro, Osteopata, Acupunturista… Nada contra nenhuma destas formações, muito pelo contrário, são ótimas FERRAMENTAS quando usadas com critério e raciocínio clínico. O ator principal do enredo da nossa profissão deve ser SEMPRE o Fisioterapeuta, bem maior e importante que a técnica que ele decidir usar naquele momento.

2. Alerta: Quase que um desdobramento do 1 alerta. O coração, a identidade da Fisioterapia, que a distingue de todas as outras é a avaliação FISIOTERÁPICA. No contexto onde o ator principal é o FISIOTERAPEUTA, usando a ferramenta mais adequada ao seu paciente, uma Avaliação bem feita e criteriosa é uma engrenagem ímpar neste processo. Ainda existem muitos colegas, que, com a intenção de facilitar a venda de seus serviços (“tiro no pé..rs”), oferecem a Avaliação de forma gratuita (mesmo sendo proibida pelo código de ética).

Voltando as comemorações do nosso dia, SIM, temos que ficar contentes, orgulhosos e brindar nossa profissão. Evoluímos muito, solidificamos nossa base de atuação de forma científica e sólida.

Convido os colegas para, além do brinde, participarem mais da valorização da Fisioterapia, realizando e compartilhando boas práticas e fortalecendo suas entidades de representação.

 

Parabéns e sucesso a todos nós!

Últimos Posts
Showing 2 comments

Deixe um comentário