Marketing na Fisioterapia: Custo ou Investimento?

Olá Fisioterapeutas Empreendedores,

 

Quando o assunto é controle de custos, tanto pessoais quanto profissionais, como você se avaliaria? Entender todos custos é de vital importância para tentar reduzir os desnecessários e não reduzir aqueles que podem ser vistos como investimento.

Pensando tanto na carreira de um Fisioterapeuta autônomo, como no cotidiano de uma clínica de Fisioterapia, nos deparamos, com muita frequência, com inúmeros gastos (claro que ninguém gosta de gastar) que ficamos na dúvida se é o momento certo de gastar e/ou, se seria necessário, e muitas vezes, referente ao Marketing.

Na sua opinião, gastar com Marketing, seria custo ou investimento? Conceitualmente, um investimento, gera retorno. Muitas vezes, no marketing, fica mais difícil de ser observado, pelo menos no curto prazo, reforçando o receio de muitos profissionais em gastar.

Publicitar na área da saúde, especialmente na Fisioterapia, requer conhecimento do código de ética. Muitas ferramentas e técnicas usadas pelo comércio ou serviço de outros setores não devem ser replicadas na Fisioterapia, pois acarretam em infrações éticas perante o conselho. Sendo assim, o Fisioterapeuta deve sempre ter o cuidado de escolher bem a forma e conteúdo de suas ações publicitárias. Sempre reforçamos que o Marketing na Fisioterapia deve contribuir para expor as qualidades e conhecimento do Fisioterapeuta, e não para barganhar o serviço.

Neste cenário, muitas vezes investimos em publicidade com a finalidade de construir/reforçar uma marca, dar mais visibilidade para um profissional ou um serviço, aumentar a sua credibilidade (autoridade clínica) na percepção de seus seguidores (clientes e potenciais clientes). Sendo assim, o fator tempo pesa bastante na percepção de retorno em determinadas ações de Marketing.  Sugerimos sempre balancear seus investimentos em marketing em ações de retorno no curto prazo (google, por exemplo) com outras de longo prazo (reconhecimento da marca).

Em várias consultorias e conversas com empresários da Fisioterapia percebo que não é rotineiro os “gastos ou investimentos” regulares com Marketing. Muitos alegam que não sobram recursos suficientes, outros que não se sentem seguros e com conhecimento adequado. Sobre a falta de recursos, um planejamento financeiro e uma precificação correta facilita bastante. Nos custos mensais de uma clínica deve ter previsão para estes gastos, o que afeta diretamente o preço cobrado ao cliente final. Muitas vezes o Fisioterapeuta acaba refém da própria política de precificação e valorização: Cobra mais barato, reduz o faturamento e, consequentemente tem pouca disponibilidade para investir em publicidade, que afeta o faturamento… e assim por diante.

Em resumo ao longo texto, publicidade deve ser visto como investimento, porém com muito planejamento, conhecimento, estratégia, paciência e sempre respeitando o código de ética. Na dúvida, se pergunte: esta ação publicitária reforça minha autoridade ou simplesmente tenta convencer meus clientes por alguma barganha?

 

Sucesso e bons negócios.

 

 

Últimos Posts

Deixe um comentário