Finanças na Fisioterapia: Como Precificar seu serviço?

Olá fisioterapeutas empreendedores!

Em minhas consultorias e capacitações recebo sempre muitas dúvidas sobre como precificar os serviços de sua clínica ou consultório. Como colocado em alguns artigos que escrevi e também em outros de colegas sobre este tema, o fisioterapeuta deve sempre buscar agregar valor ao seu cliente, optar pela qualidade. Sem dúvida este é o caminho.

Mas porque escrever algo que já foi dito e reforçado por outros colegas?

Acredito que a maioria dos fisioterapeutas concordam que temos que optar pela qualidade e pelo valor agregado. Todos queremos uma Fisioterapia mais valorizada. A questão que quero abordar é como calcular seu preço.

Existe uma grande discussão entre preço x valor. A discussão é importantíssima, mas o foco deste artigo é apenas numérico.

Para calcular com segurança o valor de seus serviços, algumas informações devem ser investigadas:

  • Quais são seus custos mensais?
    Custos fixos e variáveis como aluguel, água, luz, telefone, internet, impostos, seu salário e de sua equipe, etc.
  • Quais são os custos futuros?
    Encargos sociais, renovação dos equipamentos, depreciação, etc.
  • Qual a sua capacidade máxima de atendimento?
    Número máximo de atendimentos no consultório, de clientes no pilates, de atendimentos domiciliares, etc.

Com estas informações conseguimos estabelecer um valor dos serviços oferecidos de acordo com os custos da empresa. Assim fica mais fácil calcular o ponto de equilíbrio e saber de forma clara quantas vendas serão necessárias para equilibrar as contas e tornar o negócio lucrativo.

Cada empresa tem seus indicadores mais adequados ao seu contexto. Utilizo muito em minhas capacitações o indicador percentual de ponto de equilíbrio comparado a capacidade máxima. Com ele conseguimos entender qual o percentual da nossa capacidade fica comprometido com as contas da empresa. Ou seja, acima dele a empresa opera no lucro.

Estabelecer preços e valores não é difícil, mas tem que colocar no papel e fazer contas para ter segurança e não cometer erros essenciais.

Finalizo este texto com duas perguntas que deveriam ser respondidas por todos os fisioterapeutas sem muito esforço: Qual o seu ponto de equilíbrio? Quantos % ele representa de sua capacidade máxima?

Sucesso e bons negócios!

Recommended Posts

Deixe um comentário